fbpx

Como evitar que as mudanças climáticas tenham impacto na sua produção

Compartilhe

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

As mudanças climáticas afetam severamente a agricultura, não só isso, algumas plantações só podem ter sucesso caso o clima ajude. Como é o caso do milho, por exemplo, que precisa da chuva no período de 5 a 10 dias após a semeadura para que possa ocorrer a germinação, caso contrário, acontecerá a redução na produtividade.

Saiba como você pode evitar as perdas na agricultura com as mudanças climáticas.

Mudanças climáticas podem aumentar o crescimento de pragas

Não é de hoje que percebemos o clima mudando de forma rigorosa ano após ano. Com esse agravamento, a agricultura brasileira sofrerá com novos tipos de doenças, pragas e plantas invasoras, segundo um estudo coordenado pela Embrapa Meio Ambiente.

O aumento das temperaturas favorece o desenvolvimento de insetos-praga e fungos que causam doenças na plantação, destacamos aqui o Oídio, uma doença causada por fungos distintos responsáveis por atacar várias culturas e que vem se manifestando cada vez mais com o período de seca que viemos enfrentando atualmente.

A falha na distribuição da chuva também é algo que afeta consideravelmente a atividade, assim como a crise hídrica pode ser muito prejudicial para culturas que não são irrigadas, o excesso de água do mesmo modo pode ser muito prejudicial.

Aumento do CO2 também é preocupante para a agricultura no Brasil

Um dos motivos pelo qual o clima está mudando, é o aumento da concentração de gases do efeito estufa no planeta. De acordo com o Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas (singa em inglês, IPCC) em 1960 a concentração de CO2 na atmosfera era de 315 ppm, atualmente ela se encontra em 412 ppm, e continua em processo de crescimento acelerado.

Aqui no Brasil, a Embrapa de Jaguariúna (SP) desenvolveu uma pesquisa chamada Climapest que vem fazendo experimentos com o aumento do CO2, onde já se conseguiu constatar que em um futuro breve haverá um desenvolvimento maior da brusone no arroz e maior incidência de oídio na soja.

Chuva em excesso pode prejudicar algumas culturas

produção mudanças climáticas

Estudos da Embrapa Trigo trouxeram uma projeção de que a umidade na primavera tende a aumentar na região norte do Rio Grande do Sul, estado onde o cultivo do trigo é maior.Com esse cenário, a incidência de doenças fúngicas irá se desenvolver, prejudicando a plantação se considerarmos a atual base genética da produção. “No Rio Grande do Sul uma das principais doenças no trigo é a giberela, causada por um fungo que ataca a espiga desse cereal, que se agravaria ainda mais com o aumento projetado de chuva e de temperatura”, aponta o pesquisador Anderson Santi.

Então afinal, como proteger a minha plantação das mudanças climáticas?

Atualmente os produtores devem se aliar à tecnologia para que se possa evitar uma crise em sua propriedade com os fatores das mudanças climáticas.

Equipamentos que monitoram o microclima agrícola e umidade do solo podem determinar quando e quanto irrigar, além disso, ele auxilia no conhecimento dos efeitos do clima nas fases vegetativas e produtivas, ajudando o produtor a entender quando se deve aplicar agroquímicos e fertilizantes e qual será a incidência de pragas e predadores levando em consideração os efeitos do clima naquela cultura e área. Outra forma de se proteger das agressividades imprevisíveis da natureza e não ter prejuízos é investir em um seguro agrícola.

Mas caso você não tenha nenhum dos benefícios acima e precisa fazer um empréstimo no banco para amparar sua produção, conte com a Renegocie Já, nós faremos a análise de contratos de empréstimos com o objetivo de verificar os juros abusivos que o banco venha a aplicar sobre seu empréstimo e visando a adoção de juros legais.

Fale conosco!

Unidade Passo Fundo – RS

(54) 3198-0804

Unidade Chapecó – SC

(49) 9 9955-0791

Unidade Cascavel – PR

(49) 9 9955-0791

Palavras-chaves

Gostou? Conta pra gente!